LOADING

Type to search

Línea de Investigación: Narrativas de Surdos: cultura e identidade na América Latina

Narrativas de Surdos: cultura e identidade na América Latina

Diretora: Dra. Maria Izabel dos Santos Garcia

 

Descrição da linha: 

A presente linha de pesquisa pretende trazer à luz narrativas de surdos, a fim de destacar com cada um construiu um modo próprio de estar no mundo, a partir de um processo de sociabilidade onde está em jogo uma complexa rede de relações, nem sempre simétricas e equitativas. Através da análise dessas narrativas e embasando em estudos de autores como Clarice Peixoto (antropologia da imagem), Maurice Halbwachs (memória coletiva), Karin Strobel (identidade e cultura surdas), Ana Regina Campello (pedagogia visual), Carlos Skliar (relações de poder na educação de surdos), Pierre Bourdieu (língua como bem cultural), Michel Foucault (relações de poder), Ronice Quadros (linguística aplicada às línguas de sinais), Gilles Deleuze & Félix Guattari (filosofia da diferença e territorialidade), Georges Canguilhem (conceitos de normal e patológico) e Erving Goffman (estigma, identidade e representações do eu), bem como no campo dos Estudos Surdos, essa linha pretende refletir sobre as práticas discursivas que ensejam promover uma nova visibilidade da surdez a partir dos conceitos de cultura, língua e identidade, presentes nas comunidades de surdos, usados com intenção de demarcar território para uma política da diferença. Recentemente, dada a resistência desse grupo social organizada pelas lideranças, as línguas de sinais vêm sendo reconhecidas em vários países. Isso vem possibilitando a quebra do “silêncio” e a visibilidade a sujeitos outrora considerados “comedores inúteis” pelas ideologias vigentes até o século XX. Além disso, esse grupo social cada vez mais vem demarcando novos territórios: empoderamento das mulheres surdas, inclusão do surdo negro, respeito aos surdos gays e luta pela acessibilidade dos surdos ao ensino superior. Assim, essa linha tem por objetivo apresentar um recorte etnográfico da cosmologia desse grupo, seu ethos, seus territórios, em meio às relações de poder envolvidas quando entram em cena categorias como cultura, língua e identidade dos surdos. Ressaltamos ainda que a mesma será norteada através de cinco eixos principais, a saber: educação bilíngue para surdos, formação de lideranças, movimentos sociais, encontro de gerações e políticas públicas para acessibilidade e educação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projetos relacionados:

 

1.-“Histórias de Vida: narrativas de idosos surdos brasileiros”

O presente projeto tem por objetivo apresentar as trajetórias de vida de surdos brasileiros com idade a partir dos 60 anos. O levantamento inicial será realizado na região sudeste e, após uma análise prévia, a pesquisa avançará para as demais regiões brasileiras: sul, norte, nordeste e centro-oeste. Na coleta de dados será utilizada a etnografia e seus resultados serão apresentados em vídeo. O projeto terá como principais aportes teóricos a história oral, a construção da memória coletiva e os processos de subjetivação implicados. Todo o material será coletado a partir de entrevistas abertas, registradas com câmera de vídeo, único meio de apreensão da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Assim, buscaremos entender as vivências dos idosos surdos, seu ethos, a partir de sua própria história no que tange às relações familiares, educacionais, profissionais, nas comunidades de surdos e demais grupos sociais. A ideia é entender como cada um, em seus encontros, criou para si alternativas de vida frente a uma sociedade ainda tão excludente como a brasileira.

2.-“Organização dos Colóquios de Surdos”

Os Colóquios de Surdos fazem parte de um projeto, realizado desde 1999 na Região Sudeste do Brasil, cuja ideia central sempre foi reunir surdos como palestrantes, discutindo seus direitos, lutas e conquistas. Os objetivos principais dos Colóquios são: congregar surdos, profissionais e familiares das regiões próximas a cidade do evento em torno das questões históricas e educacionais dos surdos; apontar para a importância das associações e federações de surdos na manutenção de sua cultura, identidade e língua; apresentar formas de resistência e luta pela via do acesso e respeito à LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais); discutir os direitos e leis de acessibilidade através da ética, cidadania e emancipação das pessoas surdas. É bom ressaltar que, no Brasil, a partir da Lei 10.436/2002 e Decreto 5.626/2005, a LIBRAS passou a ser “reconhecida como meio legal de comunicação e expressão” do surdo brasileiro, embora ainda falte muito para que a mesma seja reconhecida nos meios educacionais, culturais e pela sociedade em geral.

3.-“EPLIBRAS Online

Esse projeto é a continuação da Escola Preparatória em LIBRAS para o ENEM (EPLIBRAS) que foi implementada presencialmente em duas universidades brasileiras. O curso é destinado aos Surdos em geral, com Ensino Fundamental (completo) e Ensino Médio (completo ou incompleto) e tem como objetivo preparar os mesmos para o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Como bem demonstrou nossa experiência presencial, onde a maioria das disciplinas eram ministradas por voluntários que dominavam a LIBRAS (surdos e ouvintes), a principal dificuldade de acesso educacional dos surdos está centrada na escrita e leitura, exatamente na modalidade em que deveriam obter êxito no contexto bilíngue. Assim, o centro da questão reside no fato de que os surdos vêm sendo excluídos, devido à falta de respeito à L1 (LIBRAS) como língua materna e a L2 (português) como segunda língua. Além desse fato, é necessário considerar que a pedagogia aplicada aos surdos deve ser diferenciada. A mesma deve enfocar a visualidade como aspecto fundamental para o pleno desenvolvimento cognitivo-linguístico das crianças e jovens surdos. O êxito, por assim dizer, do projeto que implementamos desde 2013 se deu justamente pelo trabalho realizado em conjunto com professores surdos. Assim, o atual projeto representa a continuidade da EPLIBRAS. Nesse segmento do mesmo, ampliaremos os direitos dos surdos de acesso ao conhecimento, usando o espaço midiático (televisão e redes sociais) como meios para atingir esse objetivo.

4.-“Fundação e desenvolvimento estratégico da REDSurdos”

Esse projeto está em vias de ser implementado e tem por objetivo reunir fazeres e agregar as comunidades de surdos da América Latina. Tem como proposta a realização de congressos internacionais, sendo que o primeiro se realizará no Brasil em 2018, bem como veicular, através de site e página do Facebook, materiais produzidos. A reunião de fundação da REDSurdos irá ocorrer no dia 18/11/2017, no Rio de Janeiro (Brasil), com líderes das comunidades de surdos locais.